A chegada iminente do verão está ligada intrinsecamente aos aparelhos de ar condicionado e climatizadores, o que significa que milhares de escritórios farão um uso maior da energia elétrica. Portanto, é fundamental que este consumo seja feito de uma maneira responsável e efetiva para evitar o desperdício da climatização e que conta de energia sofra um aumento além do necessário.

A primeira a levar em consideração quando falamos de escritórios eficientes é que não é necessário diminuir o conforto para alcançar a eficiência desejada, inclusive é possível alcançar o equilíbrio entre consumo e conforto adotando medidas simples, porém eficazes.

Uma das primeiras e principais medidas a adotar refere-se ao isolamento. Através de portas e janelas acontece um intercâmbio de temperatura e infiltrações, por isso é básico reduzir ao máximo todas elas. Quanto as janelas, é preciso optar pelo vidro isolante ou Climalit, pois no verão elas evitarão que os raios solares penetrem além do necessário e que se reaqueçam, tornando muito menor a sensação térmica do escritório. Além de dissipar parte do calor, este tipo de janelas isola também o ruído externo, portanto não só é aumentado o conforto a nível térmico, como também a nível acústico. As portas são outro fator que faz com que se dissipe a temperatura do interior dos escritórios; isso é devido a que, muitas vezes, por descuidos são deixadas abertas ou entreabertas por mais tempo do que o estritamente necessário e, muitas vezes, também não encaixam totalmente bem dentro de seu batente, portanto podem existir ranhuras pelas quais a temperatura se perde. Para impedir que sejam produzidas essas perdas, é aconselhável optar por portas automáticas tanto em entradas principais como para setorizações internas, pois elas estão preparadas tanto para isolar como para evitar os possíveis descuidos de deixá-las abertas. As portas automáticas cumprem ainda com a norma vigente de acessibilidade universal, facilitando assim a passagem de qualquer pessoa, seja qual for a sua condição física.

O uso de toldos, cortinas ou outros sistemas que protejam da radiação solar ajuda a reduzir a temperatura dentro do escritório e, portanto, do consumo eléctrico.

Outra medida onde é preciso insistir faz referência à ventilação natural. Por meio do uso de correntes naturais é possível diminuir o uso de aparelhos elétricos enquanto o conforto dos trabalhadores aumenta, pois as pessoas se sentem mais cômodas em ambientes com ventilação natural.

Quanto a temperatura média do ar condicionado no verão, apesar da controvérsia que isso possa gerar, ela foi estabelecida em 26 ºC, pois considerando que os trabalhadores usam menos roupa por si só, não é necessário abaixar mais a temperatura do termostato para alcançar a temperatura adequada. Além disso, é preciso considerar que a variação de um só grau na temperatura pode implicar uma economia ou um gasto de entre 6 e 10% na conta de energia.

Se somarmos a estas medidas o aproveitamento da luz natural, o uso de sistemas de iluminação de baixo consumo (LED, por exemplo) e inculcarmos nos trabalhadores a importância de não esquecer as luzes acesas ou as janelas abertas, por exemplo, poderemos falar de escritórios eficientes, confortáveis e respeitosos com o meio ambiente.