Cada dia no mundo, milhões de escritórios abrem as suas portas a trabalhadores e clientes, o que implica um enorme gasto energético se levarmos em consideração a quantidade de equipamentos eletrônicos, sistemas de refrigeração, elevadores ou sistemas de iluminação que utilizam para realizar suas funções.

Um dos elementos que desempenha o maior gasto energético é o derivado da climatização de edifícios e escritórios, visto que normalmente não são realizados estudos energéticos para saber, entre outras, quais são as necessidades reais de climatização que uma empresa ou negócio possa ter, apesar de ficar evidente que o uso eficiente da energia pode supor uma economia de 5 a 25%.

Quais medidas podem ser adotadas pelos escritórios para reduzirem seu gasto energético e serem mais sustentáveis?

O isolamento é um dos fatores mais descuidados e, no entanto, é uma das principais premissas para alcançar a eficiência energética. Melhorando o isolamento do edifício podemos economizar até 30% das necessidades de refrigeração e aquecimento.

Em primeiro lugar, devem ser realizadas melhorias estruturais, isto é, as paredes devem ser isoladas, assim como os chãos e a fachada do edifício. Além disso, devem ser reduzidas as infiltrações derivadas principalmente de portas e janelas. Para evitar estas perdas de temperatura, o ideal seria optar por portas automáticas que abram apenas nos momentos necessários, mantendo-se fechadas enquanto não houver passagem de pessoas. As janelas, por outro lado, deveriam contar com vidro duplo. Ambas as medidas proporcionam isolamento térmico e acústico, além de aumentar o conforto e reduzir a conta de luz.

A climatização é básica para conseguir um aumento na produtividade dos trabalhadores e a economia elétrica esperada. Além de prestar atenção à ventilação interior e aos níveis de CO2, deve haver um controle da temperatura, que deve oscilar entre 21 e 23 ºC, dependendo da época do ano. O sistema de climatização deve ser adequado às características do edifício, proporcionando um ambiente de trabalho ótimo onde os trabalhadores são mais eficientes e o consumo energético é menor. Se, pelo contrário, estes padrões são modificados, isso leva a maiores gastos de todo tipo. Dentro desta seção é imprescindível investir em equipamentos que sejam eficientes e realizar neles as revisões pertinentes para que seu funcionamento não seja alterado.

A iluminação também possui um papel de grande importância no momento de alcançar a sustentabilidade energética. Além de instalar equipamentos eficientes e cumprir com a limpeza e a manutenção ditadas pelo fabricante, seria aconselhável a instalação de células fotossensíveis, detectores de presença ou interruptores horários, sem esquecer de aproveitar ao máximo a luz solar para evitar uso da luz artificial.

Como é possível observar, graças ao compromisso da administração, ao ensinamento de hábitos de consumo saudáveis e ao uso das novas tecnologias e energias renováveis, as empresas estão tomando consciência da redução do consumo energético, conseguindo pouco a pouco um ambiente de trabalho mais limpo, sustentável e eficiente.