As salas brancas, também conhecidas como salas limpas (do inglês clean rooms) ou salas de ambiente controlado, são aqueles espaços que foram concebidos e construídos para manter determinadas condições de limpeza, temperatura, umidade, pressão, fluxo de ar e iluminação .

Em certas áreas, como a indústria farmacêutica, é absolutamente necessário ter estes espaços, porque garantem que os produtos fabricados no seu interior vão cumprir rigorosamente com as normas de qualidade e com os parâmetros necessários para o seu desenvolvimento, e que estes não vão ser alterados por nenhum organismo patogénico ou por partículas indesejáveis, seja diretamente, ou pela conhecida contaminação cruzada.

Como atingir os objetivos de esterilidade nas salas brancas

  • As salas brancas devem contar com um correto e cuidado projeto de design, e têm de tratar de aspetos importantes, tais como o funcionamento, a manutenção e o controle das salas. É importante considerar os aspetos como o fluxo de pessoas ou os materiais que vão ser tratados dentro destas salas, a fim de ajustar ao máximo possível os parâmetros de higiene e de vedação exigidos.

 

  • O próximo ponto a tratar, após a fase de projeto, é o referente à própria arquitetura da sala. As salas brancas têm de estar corretamente habilitadas em todas as questões relacionadas com o fechamento ou vedação das mesmas, desde o teto às portas de acesso e ao revestimento do chão. De acordo com os padrões exigidos para este tipo de salas, as paredes e os tetos têm de ser construídos com painéis lisos do tipo “sandwich”, unidos entre si por perfis ocultos de alumínio, e os materiais que os compõem têm de ser inertes aos microorganismos, assim é usado frequentemente aço pré-pintado galvanizado, inoxidável ou as resinas sintéticas, entre outros.

 

  • As janelas das salas brancas têm de dispor de vidros de segurança ou vidros duplos, estando o mais integrado quanto possível com o painel que compõe as paredes para evitar infiltrações de ar e agentes patógenicos.

 

  • Iluminação. A luz também é um aspeto fundamental e que se deve prestar atenção especial. As luminárias têm de ser concebidas especificamente para este tipo de ambientes estéreis, têm de ser fáceis de utilizar e de limpar para evitar a acumulação de partículas que possam contaminar a sala ou os produtos farmacológicos criados no interior. As luzes LED têm uma vida mais longa, isto significa que ao se substituir poucas vezes, menos poluentes são gerados, e suas baixas radiações de calor faz com que não se tenha de recorrer tantas vezes a sistemas de climatização, economizando energia e produzindo menos emissões de CO2 para a atmosfera.

 

  • Portas. As portas são elementos-chave dentro das salas brancas, uma vez que são o local de passagem de materiais, objetos e pessoas, por isso qualquer descuido ou infiltração pode supor que tanto as amostras como o a própria sala se contamine. Mediante o uso e instalação de portas automáticas se pode garantir os padrões exigidos de estanqueidade. Manusa dispõe de portas automáticas batentes e de correr, e ambos os modelos são especialmente concebidos para assegurar a estanqueidade, a segurança e a higiene, graças aos materiais utilizados na sua fabricação (aço inoxidável ou o laminado de alta intensidade – HPL). A este tipo de portas automáticas se pode também adicionar visores transparentes e de fácil limpeza, assim como muitos outros acessórios que ajudam a cumprir o papel das salas brancas.

 

  • Pisos. Existem diversos materiais adequados para o revestimento do piso das salas brancas, mas o mais comum é a utilização de elementos, como o PVC ou o epoxy, ou seja, materiais que oferecem uma alta resistência ao desgaste do uso e ao passar do tempo, e que além disso são igualmente fáceis de limpar e manter. Também é comum optar por revestimentos anti-estáticos, especialmente nas salas onde se utilizem dispositivos sensíveis a descargas eletrostáticas ou de medição.

 

  • Ar condicionado. A climatização é um dos elementos mais importantes das salas brancas, porque as maiores trocas de partículas se produzem precisamente pelo ar. Os equipamentos de climatização e de purificação de ar das salas brancas têm de contar com grandes medidas de filtragem que impeçam a entrada de agentes patogénicos que possam contaminar as amostras, assim como manter as condições ótimas necessárias de temperatura e umidade no interior da sala. As condutas destes equipamentos têm de estar adequadamente seladas e termicamente isoladas, assegurando assim as condições de vedação e o conforto requerido.

Os elementos que compõem as salas brancas garantem que os produtos fabricados no seu interior tenham a segurança e a garantia necessária para cumprir a finalidade para a qual foram criados.

Manusa Portas Automáticas