A domótica permite transformar edifícios convencionais em smart buildings ou edifícios inteligentes. No campo da domótica encontramos a imótica, que se refere ao conjunto de tecnologias utilizadas e aplicadas para controlar e automatizar de maneira inteligente os edifícios não residenciais, como hotéis, centros comerciais e hospitais, permitindo que seja gerenciado da maneira mais eficiente possível a energia e os recursos disponíveis. Este sistema permite também aumentar a segurança e o conforto, bem como a comunicação entre os usuários e os sistemas utilizados.

Os novos sistemas de automação e controle de edifícios, também conhecidos por sua sigla em inglês BAC (Building Automation Control), conseguem, graças a suas funções de controle, que se economize energia em aquecimento, resfriamento ou iluminação, entre outros, aumentando a eficiência destes equipamentos e reduzindo as emissões de CO2 e de outras partículas prejudiciais para o meio ambiente.

Derivado do grande potencial desta tecnologia moderna, o setor de saúde europeu está o incorporando em suas instalações, de modo a otimizar o ciclo de vida útil dos dispositivos para uso sanitário, bem como de forma a reduzir o consumo de energia, tornando a gestão muito mais inteligente.

Benefícios da imótica

Imótica para otimizar hospitais

Além de otimizar o uso das instalações e reduzir o consumo energético, a imótica pretende melhorar o conforto dos usuários e aumentar a segurança, facilitando a comunicação entre o usuário e o sistema.

  • Aumento de conforto

    • Os sistemas imóticos permitem adaptar as condições de iluminação e de temperatura, de acordo com as condições internas e externas do edifício, melhorando significativamente o conforto dos usuários.
    • Além de adaptar a temperatura e a luminosidade, o fluxo e a temperatura da água nas torneiras são ajustados, sendo ativados por sensores de movimento. Este sistema permite economizar grandes quantidades de água, uma vez que evita que alguém deixe a torneira aberta por falta de atenção.
    • Os sistemas imóticos também podem controlar a abertura e o fechamento das portas automáticas. Nos hospitais existe uma grande quantidade de portas automáticas para delimitar as diferentes áreas existentes: entradas, zonas de operações cirúrgicas, salas de radiologia, salas de cuidados intensivos, cozinha, saídas de emergência, entre outros. As portas automáticas desempenham um papel fundamental nestes edifícios, não só para facilitar a mobilidade dos pacientes e do pessoal, como também para delimitar certas áreas, evitando que as doenças se propaguem ou, em caso de incêndio na cozinha, por exemplo, as chamas não se espalhem para outras zonas do hospital.

Através do uso de portas automáticas se aumenta o conforto dos usuários, a segurança e a acessibilidade. No entanto, talvez o mais importante seja a redução significativa do uso de energia elétrica. Deste modo, são evitadas as trocas de frio e de calor entre o exterior e o interior das instalações, ou entre o interior e o exterior das salas de operação, nas quais os diferenciais de pressão devem ser mantidos constantes, portanto, é necessário fazer menos uso de equipamentos de aquecimento e ar condicionado.

  • Segurança

    . Os sistemas imóticos são capazes de localizar os usuários, criando um alerta médico, se necessário. Também são uma parte fundamental na teleassistência, avisando o profissional da saúde a deslocar-se a residencia da pessoa doente o mais rápido possível. Outra das vantagens em termos de segurança é que este sistema permite a detecção de intrusos, alertando as autoridades e garantindo a segurança dos usuários dos centros hospitalares. Também são capazes de localizar incêndios incipientes, fugas de gás e possíveis vazamentos de água, abordando todos esses problemas em suas primeiras fases (abrindo ou fechando automaticamente portas e janelas, por exemplo) e evitando que ocorra uma catástrofe.

  • Comunicação

    .Se algo caracteriza a imótica é a intercomunicação de todos os sistemas e dispositivos, bem como a comunicação do usuário com o sistema graças à grande recolha de dados que é realizada diariamente.

  • Economia de energia e sustentabilidade. Graças à centralização e ao controle exaustivo de todos os sistemas e equipamentos elétricos, são conseguidas grandes economias de energia, especialmente em termos de climatização e iluminação. Os sistemas inteligentes são capazes de se adaptar às condições externas, gerenciando a energia de forma mais eficiente nos sistemas elétricos dos hospitais. Ao fazer menos uso da eletricidade, são reduzidas as emissões de agentes poluentes para a atmosfera, melhorando a qualidade de vida dos cidadãos.

A imótica é capaz de se adaptar à infraestrutura dos hospitais, melhorando a qualidade das próprias instalações e a segurança e o conforto dos usuários, sempre sob a premissa da economia de energia.

Manusa Portas Automáticas