A mudança climática é uma realidade inquestionável. Já estamos percebendo suas conseqüências e se não reduzirmos ainda mais as emissões de gases de efeito de estufa, os impactos serão ainda mais graves. Deste modo, uma das formas mais eficazes de o conseguir é apostar na eficiência energética. A todos os níveis, incluindo os edifícios, uma vez que mais de 40% das emissões de gases de efeito de estufa na Europa provêm do consumo de energia destes.

Não temos a consciência do consumo de energia dos edifícios. Aquecimento, arrefecimento, água quente sanitária, ventilação, iluminação… Conhecer quais são as principais áreas de consumo energético e quais são as que podem ser melhoradas é fundamental para aumentar a eficiência energética e reduzir a sua contribuição para as alterações climáticas.

Como se pode reduzir o consumo de energia de um edifício?

mudança climática

Existem muitas maneiras de o controlar, porém há um elemento-chave que tem um impacto muito importante: as portas de acesso. Possuir uma porta automática marca a diferença entre um edifício energeticamente eficiente ou não. Uma porta automática, termicamente otimizada, bem isolada e com uma automação inteligente (com ciclos de fechamento e abertura eficientes), significa uma economia de energia tangível durante todo o seu ciclo de vida. O fecho automático evita que as portas fiquem abertas involuntariamente. Isto supõe uma redução significativa na perda de climatização das instalações, sendo possível economizar até 70% dos custos de ar condicionado e aquecimento, dependendo do tipo de porta automática que seja escolhida.

As soluções que podem ser aplicadas nas portas automáticas, como a possibilidade de regular o movimento de abertura e fechamento das mesmas, dependendo do tráfego existente, ou sensores de presença que ativam a abertura apenas quando há pessoas, permitem otimizar os sistemas de climatização e manter a temperatura no interior do edifício. Além disso, o sistema de isolamento térmico oferecido pelas portas automáticas evita fugas de ar e mantém a temperatura estável por mais tempo, sendo o consumo menor. E, ao contrário do que se pensa, o motor dessas portas não consome quase nenhuma energia.

Além disso, o isolamento térmico dos edifícios é uma das medidas mais eficientes para lutar contra as alterações climáticas. Melhora a eficiência energética e também contribui para a sua sustentabilidade. De acordo com dados do Instituto para la Diversificación y el Ahorro de la Energía (IDEA), pequenas melhorias no isolamento térmico podem permitir economias energéticas e económicas até 30% em aquecimento e ar condicionado. Por exemplo, sistemas de isolamento para paredes exteriores e interiores, telhados ou a instalação de janelas com vidros duplos ou com rutura de ponte térmica, assim como portas automáticas, ajudam a reduzir o consumo de energia. Além da aposta em instalar fachadas solares que incentivam o autoconsumo, também atuam como isolantes térmicos, favorecendo menores necessidades de consumo de energia. Este isolamento térmico garante condições de conforto que não podem ser alcançadas sem ele.

Para não mencionar que as portas automáticas são um elemento de grande ajuda para cumprir a norma vigente, que visa a eficiência energética para contribuir para a proteção do meio ambiente. Uma norma que será mais exigente a partir de 2020. No final desse ano, está prevista a entrada em vigor de uma diretiva europeia (2010731/UE), que obrigará novos edifícios a reduzir os seus níveis de consumo de energia. Os novos edifícios terão de ser construídos com base em uma série de indicadores que otimizem a eficiência energética consumida e terão de apostar em fontes de energia sustentáveis ​​(como solar, geotérmica ou biomassa) e do ambiente. Medidas de aquecimento de água, controlo de iluminação, aquecimento e arrefecimento, são o eixo desta diretiva. E, neste último ponto, a instalação de portas automáticas nas entradas do edifício, ou para setorizar as diferentes áreas, ajudará a controlar os sistemas de ar condicionado e a reduzir o consumo energético.

Alterar uma porta tradicional por uma porta automática é uma maneira fácil e simples de contribuir para a luta contra as alterações climáticas. Para além de ser um investimento muito rentável, devido à redução de custos, à redução das emissões de CO2 e ao contributo para a preservação do meio ambiente, tornam essa aposta em uma decisão fácil de tomar.

Em Manusa existem diferentes soluções eficazes que podem ser personalizadas. As portas automáticas de Manusa oferecem design, funcionalidade e a garantia de qualidade da empresa líder no mercado, tanto a nível nacional como internacionalmente. Possui soluções para todos os tipos de edifícios, desde hotéis e escritórios até hospitais e transportes públicos. Com elas se melhorá a eficiência energética do edifício, garantindo, simultaneamente, o conforto e a segurança das instalações.