Atualmente, a demanda para uma construção mais sustentável deixou de ser uma questão de escolha pessoal, para ser um setor regulado, a fim de implementar medidas que melhorem o comportamento ambiental das infra-estruturas e edifícios.

A arquitetura ecológica nasceu com o objetivo de reduzir as emissões de poluentes e o consumo de energia. Esse tipo de arquitetura busca otimizar os recursos naturais de que se dispõe para minimizar o impacto dos edifícios no meio ambiente e na saúde das pessoas. No entanto, para que estes edifícios possam cumprir com sua missão, necessitam estar construídos com materiais ecológicos que produzam quantidades mínimas de poluentes, tanto na fase de fabricação, como no fim de sua vida útil.

Materiais ecológicos de construção

A madeira é um dos materiais mais ecológico e mais utilizado neste tipo de edifícios, além disso, seus benefícios e usos são muito amplos:

  • Atua como material isolante (térmico e acústico), evitando intercâmbios de temperatura entre o interior e o exterior. Além disso, ao quebrar as pontes térmicas, se economizam grandes quantidades de energia e se reduzem as emissões de CO2 para a atmosfera. Estima-se que as construções de madeira possam economizar cerca de 60% por ano em eletricidade.
  • As casas de madeira têm um tempo de construção mais curto e são cerca de 30% mais económicas do que as de cimento.
  • Este é um material totalmente ecológico e sustentável, uma vez que pode ser reciclado e reutilizado.
  • É resistente, polivalente e é capaz de equilibrar os níveis de umidade no interior das divisões da casa.
  • A madeira é um material com uma baixa condutividade elétrica, de modo que o risco de descarga elétrica é quase nulo.
  • O custo de sua produção é mínimo, desde que sua origem seja certificada e provenha de uma exploração de madeira responsável.

Fibra de celulose a partir de papel reciclado. Este material provém de papel de jormal reciclado tratado posteriormente com sais de bórax; Estes sais fazem com que este material tenha propriedades à prova de fogo, inseticidas e anti fúngicas, além de atuar como um elemento de isolamento, a sua condutividade é muito baixa e precisa de muito pouca energia para a sua fabricação.

Painéis isolantes de fibras de madeira. Estes painéis resultam dos resíduos e restos gerados por serras ou qualquer indústria que trabalhe com a madeira; pode ser reciclado e reutilizado após o fim de sua vida útil, são ignífugos e atuam como elementos isolantes ao nível térmico e acústico, no entanto devido ao seu elevado grau de absorção de umidade não é recomendado para exteriores.

Argila. Este material se for tratado a temperaturas não superiores a 950°C cumpre com todas as qualidades da terra, isto é:

  • Higroscopicidade: é capaz de absorver a umidade do ambiente.
  • Isolamento: tem uma elevada capacidade de isolamento, mantendo os edifícios frescos no verão e quentes no inverno, se fazendo assim um menor uso de equipamentos de aquecimento e de arrefecimento.
  • Boa inércia térmica. A inércia térmica é a capacidade que certos elementos têm de conservar a energia térmica recebida e poder libertá-la progressivamente. Usando materiais, tais como a argila, nas paredes dos edifícios, se diminui a necessidade de usar equipamentos de climatização, reduzindo o consumo energético e as emissões de poluentes.
  • A argila é um material com baixos níveis de radioatividade, sendo praticamente inofensivo para o meio ambiente e para a saúde das pessoas.

A argila tem também outras vantagens:

  • Versatilidade. Os usos que podem ser dados na construção são muito amplos (paredes, muros, fachadas, abóbadas, telhados, telhas, persianas, etc.).
  • É um material pouco contaminante porque é totalmente reciclável e os resíduos gerados durante a sua produção podem voltar de novo à fase de preparação da matéria-prima.

Vidro. O vidro é um dos materiais mais versátil e sustentável ​​que existe, podendo ser utilizado diretamente na construção ecológica ou reciclando-o para fabricar outros materiais, como telhas, revestimentos e até mesmo para melhorar o desempenho dos painéis solares.

Outros materiais ecológicos

Embora os materiais mais conhecidos são os mencionados acima, atualmente se continua a investigar e inovar, de modo a aproveitar qualquer resíduo proveniente de qualquer âmbito, sendo cada vez mais ampla a gama de materiais ecológicos:

  • Uso de resíduos procedentes de pedreiras e de outros processos industriais (mármore, ardósia, cinzas, lama, resíduos sólidos urbanos, borracha, serradura, palha, etc.).
  • Resíduos do cultivo (cascas de sorgo, arroz, trigo, coco, bambu e cânhamo).

Mediante o uso desses materiais e também graças aos novos padrões do projeto arquitetônico que têm em conta fatores como a orientação do edifício, de isolamento ou de fontes de energia renováveis, se conseguirá uma grande economia de energia e, portanto, será minimizado o impacto negativo sobre o meio ambiente.

Manusa Portas Automáticas