Um edifício “inteligente” tem de cumprir uma série de características especiais que o distingue claramente do edifício tradicional.

Principais tecnologias nos Edifícios Inteligentes

  • Controle de acessos. Nesses edifícios, o controle de acessos permite aumentar a segurança e o fluxo de pessoas que acessam ao interior do edifício. No entanto, essas medidas vão mais além, uma vez que são setorializadas diversas áreas, a entrada de veículos é controlada e se utiliza a radiofrequência para conhecer a localização dos funcionários.

 

  • Acessibilidade. Além do controle de acessos, os edifícios inteligentes têm de ser capazes de garantir a acessibilidade universal, por isso é essencial que disponham de portas automáticas, elevadores, rampas e qualquer outro sistema que ajude as pessoas com mobilidade reduzida ou outros problemas físicos, como surdez ou cegueira, a poderem interagir com as instalações de maneira normal.

 

  • Graças à combinação da automatização inteligente e à coleta de dados, esses edifícios podem economizar grandes quantidades de energia, além de aumentar significativamente a segurança dos trabalhadores, usuários e das próprias instalações. Esses edifícios recolhem dados dos sistemas de vídeovigilância, do controle de acesso e dos alarmes de incêndio, entre outros, reunindo todos os dados no mesmo sistema. Deste modo, se consegue obter informações em tempo real de uma maneira muito mais precisa do que com os sistemas conhecidos até agora, reduzindo o tempo de atuação e evacuação, no caso de ser necessário.

 

  • Conetividade. É, sem dúvida, um dos requisitos mais importantes e diferenciadores dos Smart Buildings, uma vez que permite a união de pessoas com o sistema informático do edifício, bem como o próprio ambiente com o edifício. Graças aos dados extraídos pelos diferentes sensores que o edifício possui, este se adapta às condições climáticas e à iluminação do exterior, aumentando o conforto dentro das instalações e obtendo maiores economias de energia.

 

  • Sustentabilidade. A sustentabilidade ou ecoeficiência é uma parte intrínseca dos edifícios inteligentes. Os Smart Buildings são construídos com materiais de origem reciclada ou natural, como madeira ou vidro, ou seja, materiais que, uma vez alcançado o fim de vida do edifício, podem ser reciclados ou reutilizados, sendo possível investir a quantidade mínima de energia tanto quando se trata de construir como de demolir.

 

  • A economia de energia também é uma parte importante da sustentabilidade. Graças ao uso de energias renováveis, como a energia geotérmica, hidráulica, solar ou eólica, se consegue reduzir bastante o uso de energias convencionais, as quais geram emissões nocivas para o meio ambiente e para a atmosfera.

Exemplos de edifícios inteligentes

  1. Um dos edifícios de escritórios mais inteligentes do mundo, The Edge, em Amsterdã (Holanda) possui sistemas inovadores para o reconhecimento dos veículos dos trabalhadores, indicando-lhes o lugar que têm disponível para estacionar, além de facilitar o carregamento a todos aqueles que têm um carro elétrico. Outra das vantagens deste edifício inteligente é que, graças a uma aplicação móvel sofisticada, conhece as preferências dos usuários, adaptando a temperatura e as condições de iluminação para que os trabalhadores estejam o mais confortáveis ​​possível.

 

  1. The Crystal, Inglaterra. Este edifício foi construído pela Siemens, e entre suas principais características, se destaca o consumo de 45% menos energia do que qualquer edifício convencional, e emite 65% menos de CO2 para a atmosfera. Este edifício, além de reutilizar 100% de água da chuva, aquece suas instalações, graças a dois terços do edifício serem cobertos por painéis solares que geram aproximadamente 20% da energia total necessária para o The Crystal se autossustentar.

 

  1. Leadenhall. Localizado em Londres, este edifício inteligente possui uma camada tripla de vidro e persianas internas que respondem de acordo com a temperatura exterior e a direção do sol. O interior do edifício conta com cerca de 300 medidores de energia, elevadores inteligentes e ventilação natural, entre outros, o que aumenta a comodidade e o conforto de todos os usuários.

 

  1. Sede Siemens, Emirados Árabes Unidos. Este edifício, que será inaugurado no ano 2020 em Abu Dahbi, foi construído sob os padrões de certificação LEED Platinum e possui um revestimento de alumínio que dissipa o sol e, portanto, a temperatura do seu interior. Além disso, se espera economizar 63% de energia e 25% de água.

 

  1. Torres Al Bahar, Emirados Árabes Unidos. Sua fachada é completamente controlada por computadores, respondendo de acordo com a direção do sol. Graças aos painéis solares instalados nas coberturas do sul de cada torre, obtêm grande parte da energia necessária para a sua atividade diária.

Manusa Portas Automáticas