Os centros comerciais se caracterizam por serem locais lúdicos e pontos de encontro para família e amigos, graças à vasta gama de serviços oferecidos ao público, alcançando o equilíbrio perfeito entre trabalho e lazer.

Graças aos avanços atuais em termos de tecnologia e inovação, os centros comerciais oferecerão muito mais opções de lazer, serão muito mais acessíveis, confortáveis e inovadores, mas não só isso como também serão muito mais sustentáveis.

Podemos ilustrar este exemplo com o futuro centro comercial em Torrejón de Ardoz, em Madrid, o Open Sky, projetado pelo arquiteto italiano Gianni Rananulo e cuja inauguração está prevista para o ano 2018. A empresa francesa Compagnie de Phalsbourg criará um dos centros comerciais mais singular e tecnológico de Espanha, seguindo a dinâmica de outros shoppings criados pela mesma empresa. O Open Sky terá 75.000 metros quadrados e será composto por 60 lojas, 2.500 vagas de estacionamento, assim como uma área de mais de 3.500 metros quadrados destinada a jogos de todos os tipos, um lago navegável, jardins, lojas, bares e até um auditório para atuações musicais.

Outro exemplo pode ser encontrado na província chinesa de Jiangxi. O arquiteto Vincent Callebaut, conhecido pelos seus projetos futuristas e amigos do meio ambiente, projetou recentemente o The Wooden Orchids, um enorme centro comercial cujo design é baseado em dois grandes edifícios de vidro, unidos por plataformas, cuja principal característica será a predominância de vegetação e o uso de painéis solares para aproveitar ao máximo os recursos naturais, e depender do mínimo possível de eletricidade, que por sua vez se traduz em menores emissões de CO2 e uma maior sustentabilidade.

Este macro shopping também utlizará água de origem pluvial para manter as vastas extensões de áreas verdes, assim como energia geotérmica, refrigeração passiva e materiais reciclados, o que ajudará a diminuir significativamente o uso das energias convencionais, reduzindo-se 70%.

Que requisitos devem cumprir os centros comerciais do futuro?

Segundo especialistas, os centros comerciais de amanhã devem adaptar-se às novas tecnologias, especialmente ao uso de tecnologias móveis, a fim de oferecer aos seus usuários uma experiência única e adaptada às suas necessidades. Cada vez são mais os usuários que utilizam as novas tecnologias para realizar suas pesquisas ou comprar produtos de todos os tipos, assim que implementar ou melhorar o e-commerce ou comércio eletrónico deve tornar-se uma prioridade para estes negócios.

Além de melhorar a comunicação com os consumidores através da Internet, os centros comerciais do futuro têm de se centrar na combinação de entretenimento, compras, cultura, gastronomia e até mesmo descanso, ou seja, têm de se tornar pequenas cidades que atendam às expetativas e necessidades dos seus clientes.

No entanto,  não devemos esquecer a premissa da sustentabilidade; os centros comerciais de amanhã não poderão coexistir na futura sociedade sem estarem totalmente integrados e consciencializados em cuidar do meio ambiente.