Os shoppings centers são espaços de vanguarda onde se pode encontrar, além das últimas tendências em entretenimento, os sistemas mais inovadores em termos de tecnologias de sustentabilidade, eficiência energética (controle de acessos e portas automáticas no shopping) e responsabilidade ambiental.

Estima-se que os shoppings centers sustentáveis ​​possam consumir até 70% menos de energia do que os convencionais, graças ao uso de novas tecnologias, das melhorias estruturais e, especialmente, graças ao uso e aproveitamento de energias renováveis.

Como são os shopping centers autossuficientes?

  1. Os shoppings do futuro baseiam sua construção no uso de materiais de baixo impacto ambiental. Esses materiais provêm de elementos reciclados ou naturais e requerem muito pouca energia para sua produção e distribuição, o que garante que, quando atingirem o fim de sua vida útil, eles possam ser usados ​​novamente para fabricar novos produtos ou materiais. Além de fazer uso de materiais ecológicos, esse tipo de arquitetura usa plantas, flores, árvores e arbustos como elementos arquitetônicos, reduzindo assim o impacto ambiental.

 

  1. Redução do uso de energias convencionais. Uma das medidas que mais ajuda a reduzir o uso da eletricidade é a exploração das energias renováveis. Atualmente, existem diversos modelos de edifícios ou grandes superfícies sustentáveis, no entanto vale a pena mencionar, como exemplo deste novo modelo de construção, o shopping The Wooden Orchids, obra do arquiteto belga Vincent Callebaut, conhecido por suas obras futuristas e amigas do meio ambiente.

Este novo shopping center na província chinesa de Jiangxi foi projetado para tirar o máximo proveito da energia proveniente do sol, uma vez que possui grandes painéis solares voltados para sul que cobrem 50% da superfície de cada edifício. As células e os tubos solares que compõem essas placas geram in situ a maior parte da eletricidade necessária para que este gigante comercial seja autossuficiente e dispense a energia elétrica.

No entanto, o shopping projetado por Callebaut não utiliza apenas energia solar, como também usa energia geotérmica para aquecer suas instalações. Coleta a água da chuva e usa-a para regar os jardins e utiliza resfriamento passivo nos meses mais quentes do ano. Essa redução no uso de energias convencionais significa que o impacto no meio ambiente é minimizado, emitindo menores quantidades de CO2 e outros poluentes.

  1. Desenho bioclimático. Uma das principais características do design arquitetônico sustentável é que leva em conta as condições climáticas do meio ambiente para adaptar sua construção tanto quanto possível ao tipo de vegetação, luz, chuva, vento, etc., o que implica um menor consumo de energia e uma maior proteção do meio ambiente.

 

  1. Os shopping centers sustentáveis ​​dispõem de grandes áreas verdes: jardins verticais, jardins interiores, terraços ecológicos, etc. Estas zonas verdes ajudam a reduzir os níveis de CO2, retêm as partículas de poeira e os metais pesados ​​do ar, servem como lar de diversas espécies nativas de plantas e animais, e atuam como elementos isolantes se forem usados ​​em fachadas e telhados, evitando fugas de frio e calor.

Outro exemplo dessas grandes extensões de áreas verdes é o do shopping japonês Osaka Green Roof Mall, que dispõe de uma área total de jardins em seus telhados de 130.000 metros quadrados.

  1. Se um shopping center quer ser autossuficiente, é necessário combinar as características mencionadas acima, como também evitar o desperdício de energia, e a maneira mais eficiente para o conseguir é evitando trocas de temperatura entre o interior e o exterior. Para evitar essas trocas é necessário que os edifícios tenham um bom revestimento e que este seja verificado periodicamente para evitar rachaduras ou fissuras.

Outra das medidas mais importantes está relacionada aos acessos aos shopping centers. Tendo em conta que estas grandes superfícies são visitadas todos os dias por centenas ou milhares de pessoas, é necessário ter sistemas com baixo consumo energético, que garantam a segurança dos usuários em caso de evacuação, bem como a estanqueidade do centro para evitar perdas ou trocas de temperatura. Deste modo, as portas automáticas são a melhor solução para melhorar o conforto e a segurança dos usuários.

Embora seja verdade que as construções sustentáveis ​​são mais caras inicialmente, o investimento é rentável a médio prazo, uma vez que não só consomem menos energia do que edifícios tradicionais, como os custos derivados da manutenção também são menores. Por outro lado, deve-se enfatizar que o valor agregado desses shoppings é superior ao dos convencionais, e que as empresas que fazem parte deles verão a imagem de marca melhorada consideravelmente.

Manusa Portas Automáticas