As cidades se transformam diariamente para serem mais acessíveis, sustentáveis ​​e amigas ​​dos seus cidadãos. A fim de oferecer e garantir as mesmas oportunidades a todos os usuários, é necessário eliminar as barreiras arquitetônicas existentes, incluindo as que são relacionadas com o transporte. Portanto, é absolutamente necessário que as cidades do futuro disponham de um transporte acessível que permita a mobilidade livre e a inclusão de todos os cidadãos.

Acessibilidade nos aeroportos

As infraestruturas dos aeroportos melhoraram notoriamente nos últimos anos. Como exemplo, podemos referir as seguintes medidas:

  • Zonas de estacionamento perto das entradas e saídas dos terminais.
  • Instalação de rampas e elevadores com as dimensões adequadas para que as pessoas com mobilidade reduzida (PMR) possam acessar sem complicações.
  • Escritura braille em elevadores e avisos acústicos para para pessoas com deficiencia visual.
  • Sanitários adaptados para as PMR.
  • Sistemas de informação adaptados para pessoas com incapacidades de todos os tipos, desde balcões com uma altura menor para aqueles que necessitam de uma cadeira de rodas, até informações em braille ou aplicações móveis com informações sobre o estado dos vôos para pessoas com problemas de audição.
  • Portas automáticas com a largura de passagem necessária para que uma pessoa que necessite de andadores, cadeiras de rodas ou muletas possa acessar facilmente às instalações.
  • Serviço de assistência pessoal, composto por trabalhadores qualificados para atender às necessidades das pessoas com incapacidades físicas ou mentais.

Acessibilidade no transporte ferroviário

A acessibilidade no transporte ferroviário é uma das com mais desenvolvimento nos últimos anos. Este meio de transporte é um dos que mais impedimentos tinha para usuários com problemas de mobilidade, devido ao espaço entre o trem e a plataforma, e também devido às escadas que têm de ser percorridas, na maioria dos casos, para acessar à própria estação. Estas são algumas das medidas aplicadas pelas estações ferroviárias para eliminar as barreiras arquitetônicas:

  • Espaços de estacionamento reservados para as PMR com fácil acesso à estação.
  • Portas automáticas para acessar à estação.
  • Sanitários acessíveis adaptados às PMR.
  • Delimitação das plataformas através de marcações com relevo que estabelecem uma distância de segurança ideal para pessoas com problemas de visão.
  • Espaços reservados para usuários que precisam de uma cadeira de rodas com um sistema especial de ancoragem.
  • Facilidade de acesso às diferentes áreas existentes dentro dos trens (cafeteria, sanitários, etc.).
  • Incorporação de rampas dobráveis ​​ou plataformas elevatórias para facilitar o acesso ao interior dos comboios.
  • Incorporação de portas automáticas de cais. Este sistema não é apenas ótimo para as PMR, como também garante total segurança a todos os usuários. Manusa dispõe de dois modelos notáveis: as portas de cais PSD e as portas de cais de meia altura PSG. Ambos os sistemas separam o trem da plataforma, e suas portas apenas se abrem quando o comboio está completamente parado e alinhado com essas portas, impedindo quedas acidentais nas vias, eliminando o espaço existente entre a estação e a cabine do trem, e facilitando a passagem de todos os usuários, independentemente da sua condição física.

Acessibilidade no transporte rodoviário

No transporte rodoviário destacam-se especialmente os ônibus. Embora esta área não tenha tido a mesma evolução a favor da inclusão como as outras, estão sendo tomadas medidas para que as pessoas com problemas de mobilidade possam usar este meio de transporte:

  • Instalação de sistemas de proteção e abrigos em plataformas e estações para garantir a acessibilidade e a segurança. Manusa dispõe de portas automáticas para sistemas BRT (Bus Rapid Transit), um sistema de controle e gestão de portas automáticas para estações que sincroniza a abertura e o fechamento das portas da plataforma e do ônibus, de forma automática, coordenada e segura.
  • Instalação de plataformas elevadoras hidráulicas para que o cliente possa acessar facilmente ao ônibus.
  • Redução do número de lugares convencionais, de modo a ampliar o espaço para as PMR.
  • Incorporação nos ônibus de assentos especiais para os passageiros que necessitem de uma cadeira de rodas. A principal vantagem desses assentos é que facilita a transferência da elevadora da estação para o interior do veículo.
  • Número dos assentos, indicações de sanitários, extintores de incêndio ou saídas de emergência em braille.

Nos últimos anos, o acesso a diferentes meios de transporte públicos e privados de todo o mundo foi consideravelmente adaptado e melhorado, o que dá uma enorme liberdade às Pessoas com Mobilidade Reduzida. Graças à implementação destas medidas, a chamada “acessibilidade universal nos transportes” está sendo alcançada.