O setor turístico tem um grande peso em relação ao uso da energia. Bares, restaurantes e hotéis precisam de fazer um uso elevado e contínuo de energia elétrica para desempenhar corretamente sua atividade.

No caso dos hotéis, a maior parte do consumo energético deriva diretamente do uso de equipamentos de aquecimento e refrigeração, da iluminação e da produção de água quente. O principal problema deste grande consumo reside tanto no campo econômico, como no meio ambiente, uma vez que quanto maior o consumo, maiores são as emissões de poluentes.

Procedimentos para um hotel sustentável

Para reduzir este nível de consumo, o Instituto Tecnológico Hotelero (ITH), estabeleceu um roteiro que determina as diretrizes recomendadas para conseguir que um hotel seja mais sustentável, eficiente e autossuficiente, a nível energético:

  1. Formar os trabalhadores. Estabelecer um “manual de boas práticas” em economia de energia, onde se definam os procedimentos a seguir em relação a fornecer treinamento a todos os membros da organização neste campo. Instruir os trabalhadores requer praticamente nenhum investimento, mas a economia que se pode alcançar é muito alta.
  2. Rever os contratos com as empresas de energia. Conhecer as potências contratadas ou as necessidades reais das instalações pode ajudar a ajustar e a reduzir o consumo energético do hotel.
  3. Utilizar ferramentas de medição do consumo. Como mencionado pela ITH, “para poder economizar tem de se saber onde atuar”. Incorporando sistemas avançados de medição é possível ter um maior controle e monitorização do consumo. Esses equipamentos têm em conta as variáveis ​​climáticas, ou seja, se em um dia de inverno faz calor, eles evitam fazer um uso desnecessário de sistemas de aquecimento.
  4. Reduzir o consumo de água. Graças à instalação de sistemas como a redução de fluxo nos chuveiros ou caixas sanitárias de dupla descarga, é possível reduzir o volume de água necessário sem privar o cliente do conforto esperado em um hotel.
  5. Dispor de iluminação eficiente ou de baixo consumo. Os sistemas de iluminação dos hotéis permanecem em funcionamento muitas horas por dia, de modo que a mudança de lâmpadas tradicionais pelas LED trará uma economia a curto prazo muito significativa, no entanto com um investimento muito pequeno. Também é aconselhável instalar sistemas de deteção de presença para evitar que as luzes permaneçam acesas quando não for necessário.
  6. Climatização. A climatização é uma parte intrínseca de qualquer hotel; substituindo os sistemas de aquecimento e de arrefecimento por sistemas mais eficientes energeticamente (sistemas de recuperação de calor, por exemplo) se alcançarão níveis muito elevados de economia, minimizando o impacto destes dispositivos no ambiente.
  7. Instalação de sistemas de bombeio eficiente. Estes sistemas são necessários para o funcionamento dos equipamentos de ar condicionado, do aquecimento ou da água corrente, e representam cerca de 70% do consumo total de energia dos hotéis. Se esses equipamentos são substituídos por outros com maior eficiência, além de se conseguir grandes economias, o investimento pode ser amortizado em poucos anos. Na verdade, o ITH desenvolveu um projeto piloto para hotéis espanhóis devido ao elevado sucesso em outros países.
  8. Recurso a energias renováveis. Energias como a solar, a biomassa ou a geotérmica para produzir água quente nos banheiros pode supor uma grande economia de energia, e seu impacto sobre o meio ambiente é totalmente nulo. A ideia é que em um futuro não muito distante, os hotéis recorram a este tipo de energias e possam produzir sua própria energia, ou seja, possam ser autossuficientes e não tenham de recorrer à eletricidade. Isso fará com que os hotéis sejam muito mais rentáveis, ao mesmo tempo que ecológicos.
  9. Ambiente do edifício. É necessário que o envolvente se encontre em perfeitas condições e as possíveis rachaduras e fissuras sejam reparadas para evitar os vazamentos e as trocas de temperatura. Mas o ambiente não é o único elemento a que tem de se prestar atenção. Portas e janelas também funcionam como elementos isolantes, evitando trocas de temperatura entre o exterior e o interior. É necessário dispor de vidros duplos com rutura de ponte térmica. No caso das portas, é desejável que os hotéis instalem portas automáticas, porque garantem a vedação necessária para evitar perdas e trocas de temperatura, especialmente devido a descuidos no momento do fechamento.

Um hotel autossuficiente tem de ser baseado na premissa da sustentabilidade, sendo essencial uma maior utilização de fontes de energia renovável​​, limitando o uso da energia elétrica convencional e ganhando, desta forma, o distintivo de hotel verde ou sustentável.