A consciência da acessibilidade universal tornou-se um elemento fundamental na sociedade atual. É cada vez mais comum encontrar acessos para pessoas com mobilidade reduzida em centros comerciais, edifícios de escritórios, aeroportos, estações de trem e ônibus, e até mesmo nos condomínios. Que um edifício é acessível para todos, não significa que ele só precisa de se concentrar nas necessidades das PMR. Um edifício acessível tem de facilitar a vida de todos e de cada um dos seus usuários.

As leis de propriedade horizontal e a acessibilidade

As novas leis sobre propriedade horizontal, que são as que afetam diretamente os condomínios, estabelecem que é obrigatório realizar obras que permitam e facilitem a acessibilidade total a todos os usuários, a fim de eliminar qualquer tipo de barreira arquitetônica. Além disso, esta lei é clara a este respeito, uma vez que não é necessário chegar a um acordo para poder realizar as obras necessárias para adaptar as instalações.

De acordo com as leis dos condomínios, é obrigatório realizar os seguintes trabalhos em edifícios residenciais:

  • Obras e trabalhos que garantam a manutenção correta do edifício, como das áreas comuns e seus serviços básicos, entre os quais se destacam três requisitos essenciais:
    • Segurança. A estrutura e o design do edifício devem garantir a segurança dos seus habitantes quando utilizam as instalações. Também é necessário contar com extintores de incêndio e portas de emergência corretamente sinalizadas para evacuar o edifício em caso de incêndio.
    • Habitabilidade. Os edifícios residenciais devem cumprir os critérios atuais de sustentabilidade, sendo necessário que estejam bem isolados do exterior para evitar trocas de temperatura entre o exterior e o interior, o que poderia aumentar significativamente o consumo de energia e reduzir a qualidade de vida de seus habitantes.
    • Funcionalidade. Os espaços têm de poder ser utilizados por todas as pessoas, independentemente da sua condição física, de modo que os elementos comuns têm de ser instalados respeitando as distâncias que garantem a manobrabilidade necessária de seus habitantes.
  • Obras necessárias para garantir a acessibilidade:
    • Rampas de acesso ao edifício ou a qualquer área comum.
    • Instalação de botões acessíveis, visíveis e bem sinalizados, tanto em elevadores quanto na saída do condomínio ou edifício.
    • Instalação de sensores de movimento que ativem as luzes da área em questão ao detectar a presença de um indivíduo. Esta medida, além de ajudar as pessoas com problemas de mobilidade, servirá para economizar energia, ajudando assim o meio ambiente.
    • Ampliação da largura de passagem das portas para que as pessoas que precisam de usar muletas, cadeiras de rodas ou carrinhos de bebê não sejam impedidas de acessar às instalações.
    • Corrimãos que facilitem a segurança do indivíduo.
    • Instalação de elevadores com portas automáticas deslizantes (não dobráveis) que possuam sinais acústicos, leitura em braille ou avisos visuais para pessoas com deficiências visuais ou auditivas.
    • Instalação de portas automáticas tanto na entrada do edifício como nos acessos a outras áreas comuns.

Instalação de portas automáticas nos condomínios

A consciência da acessibilidade universal tornou-se um elemento fundamental na sociedade atual.

As portas automáticas Manusa estão desenhadas para se adaptar a qualquer estilo arquitetônico e a qualquer uso dos edifícios e, portanto, também a edifícios residenciais. As portas automáticas em edifícios residenciais são uma grande ajuda para os idosos, PMR, portadores de sacolas de compras, bagagens ou carrinhos de bebês, e mesmo para os trabalhadores que tenham de acessar com material para realizar obras ou reparações. Graças à abertura automática e às múltiplas combinações de sistemas de acesso, os usuários entrarão e sairão confortavelmente, sem precisar de ajuda e sem ter de fazer um esforço extra.

A instalação de portas automáticas nos condomínios pode oferecer grandes vantagens:

  • Economia de energia. As portas automáticas podem economizar grandes quantidades de energia, uma vez que elas permanecem abertas somente se detectarem a passagem de pessoas, evitando perdas de temperatura do interior do prédio e garantindo a estanqueidade das instalações. Além disso, a porta tem uma maior iluminação natural, graças à transparência da porta, de modo que o consumo elétrico e as emissões de gases poluentes são menores.
  • Acessibilidade universal. Graças à sua abertura automática, facilita a entrada a todas as pessoas, especialmente às PMR.
  • Segurança. A porta nunca fica aberta, evitando invasões indesejadas. Além disso, outros sistemas podem ser adicionados para reforçar a segurança, como detecção facial ou impressão digital (biometria), acesso com cartão ou câmeras de segurança.

Manusa Portas Automáticas