As portas automáticas são fundamentais em monumentos históricos, devido ao grande fluxo de pessoas que têm de receber todos os dias. Este tipo de portas torna a passagem de pessoas muito mais fluída e ágil, pois é possível reduzir o tempo de espera e as filas, mediante a remoção de obstáculos em pontos de acesso.

As portas automáticas, além de regular o fluxo de pessoas, cumprem outras tarefas:

  • Acessibilidade universal. Na Convenção das Nações Unidas de 2006 foram estabelecidos e reconhecidos os direitos das pessoas com algum tipo de incapacidade, ratificando-se que é necessário “promover, proteger e assegurar o gozo pleno e em condições de igualdade de todos os direitos humanos e liberdades fundamentais por todas as pessoas com incapacidade, e promover o respeito pela sua dignidade inerente”. No entanto, para atingir estes padrões, é necessário que as barreiras ou obstáculos sejam eliminados, em prol da acessibilidade universal, já que, como assinala o discurso da Convenção das Nações Unidas, todo mundo tem o direito de livre acesso à cultura e a poder contemplar as obras de arte ou os monumentos considerados de interesse cultural ou turístico, sem que o seu estado ou condição física ou mental seja um impedimento.

Graças à instalação de portas automáticas, a acessibilidade e a mobilidade dos visitantes é melhorada, uma vez que não existe a necessidade de realizar qualquer esforço extra para aceder ao interior do monumento ou do museu.

  • Os monumentos históricos, normalmente, albergam no seu interior obras de arte, objetos ou documentos de grande relevância cultural e económica, pelo que preservá-los e conservá-los é uma prioridade. Estas obras necessitam de certas condições de luz, temperatura e humidade, requisitos dificilmente alcançáveis caso a sala não cumpra com os critérios de isolamento necessários. É aqui onde entram em jogo as portas automáticas, porque graças à sua instalação e utilização podem se manter as condições ótimas para salvaguardar estas peças históricas. As portas automáticas Manusa são perfeitas para estes espaços, uma vez que devido aos seus acabamentos podem ser incorporadas em qualquer ambiente arquitetónico, e proporcionar o isolamento necessário para manter a temperatura e humidade ideais para que as obras não se deteriorem.
  • As portas automáticas também são grandes aliadas na hora de evitar o desperdício de energia. Graças a elas se evitam as trocas de temperatura entre o interior das salas e o exterior, assim como os intercâmbios entre as próprias salas, uma vez que é possível que cada uma necessite de diferentes condições de temperatura e humidade, dependendo das obras que guardem no seu interior. Assim se consegue que a temperatura das salas permaneça estável, e os equipamentos de ar condicionado realizem um menor esforço, reduzindo os gastos energéticos e económicos e diminuindo as emissões de CO2 para a atmosfera.
  • Outra das vantagens derivadas do uso das portas automáticas é que servem para delimitar espaços dentro do edifício. É possível que dentro do museu ou do monumento seja necessário ter diferentes salas ou espaços, seja por exigirem diferentes graus de temperatura/humidade, ou porque querem delimitar diferentes coleções. Também podem ser úteis para restringir a passagem de pessoal não autorizado a lugares como escritórios ou qualquer outro espaço que não deve ter o acesso do visitante.
  • Portas automáticas para vias de evacuação e contra incêndios. Este é um dos pontos mais importantes, já que monumentos culturais recebem um grande número de visitantes, e em caso de incêndio ou acidente é absolutamente necessário evacuar o mais rapidamente possível, de modo a evitar os mínimos danos pessoais e materiais. As portas automáticas situadas em vias de evacuação podem possuir um mecanismo anti-pânico integral, que permite que as folhas abram para o exterior com um simples impulso manual, expandindo o espaço disponível para permitir a passagem dos visitantes e reduzindo significativamente o tempo de evacuação. Além disso, as portas resistentes ao fogo têm uma função de separação para assegurar que, em caso de incêndio, impeçam a propagação do fogo, fumaça ou gases para fora do espaço que delimitam, em um determinado período de tempo.

Como se pode observar, a instalação de portas automáticas em monumentos históricos e museus traz inúmeras vantagens, tanto para os visitantes como para as obras de arte que devem ser preservadas, garantindo sempre uma experiência agradável para todos aqueles que desejam desfrutar da cultura.