As universidades são centros educacionais onde, todos os dias, centenas e até milhares de pessoas vão trabalhar e/ou estudar. Devido ao elevado número de pessoas que estão presentes nesses centros diariamente, é necessário reforçar as medidas de controle, de modo a garantir a segurança dos estudantes, docentes e qualquer outra pessoa que faça uso dessas instalações.

Para garantir a segurança é necessário distinguir os vários fatores de risco dentro dessas instituições. Esses fatores se dividem no de risco estático, que se referem a bens físicos (eletrodomésticos, instalações, locais, edifícios, etc.), e aqueles de risco dinâmico, ou seja, os riscos que têm a ver com pessoas e com seu ambiente.

Os fatores de risco estático incluem possíveis danos aos bens imóveis, danos que são frequentemente relacionados a incêndios ou catástrofes naturais, entre outros. Estas últimas são difíceis de prever, no entanto podem ser tomadas medidas que incluem protocolos de ação e evacuação, bem como simulações para reduzir o tempo de resposta em caso de ocorrer algum incidente ou catástrofe.

No caso dos incêndios, existem diversas medidas que podem ser tomadas para preveni-los e minimizá-los, no caso de se originarem:

  • É necessário dispor do equipamento necessário em termos de prevenção e extinção de incêndios, desde alarmes, dispersores de água, extintores de incêndio, etc.
  • A instalação elétrica tem de ser verificada periodicamente, garantindo seu funcionamento correto e boas condições.
  • As cozinhas das universidades, ou outros espaços suscetíveis a sofrer um incêndio, têm de estar corretamente delimitadas e afastadas de áreas potencialmente inflamáveis. Além disso, será conveniente instalar portas ignífugas ou resistentes ao fogo. Manusa dispõe de portas resistentes ao fogo que cumprem a função da separação necessária em caso de incêndio, delimitando as zonas dentro do mesmo edifício sob a maior segurança.

Outro dos pontos em que é importante focar a segurança é o que se refere aos acessos. O elevado volume de pessoas que circula por esses centros educativos torna necessário a instalação de sistemas que garantam a segurança de todos e de cada um dos usuários. Para aumentar a segurança nas universidades, várias medidas podem ser tomadas, incluindo:

  1. Instalar sistemas de vigilância permanente como câmeras de segurança, tanto nas salas universitárias como no próprio campus.
  2. Instalar sistemas de com detecção de pessoas como medida de dissuasão. Isso ajudará a controlar as ações, mas sem desperdiçar energia, uma vez que as luzes só acenderão quando detectarem uma presença.
  3. Aumentar e melhorar os sistemas de vigilância existentes (patrulhas, bases de monitoramento, etc.).
  4. Reforçar os controles de segurança nos acessos ao centro, através de sistemas de controle de acesso. Manusa possui uma ampla gama de sistemas de controle de acesso, sistemas que podem ser incorporados na arquitetura existente nas universidades. Além disso, os sistemas de controle de acesso da Manusa garantem a largura de passagem necessária para os usuários com problemas de mobilidade, garantindo a acessibilidade universal.

Sistemas de controle de acesso Manusa

  • Express Gate, corredor de acesso controlado com painéis ocultos. A principal característica deste sistema de acesso é que permite a incorporação de qualquer sistema de validação: biometria, impressões digitais, reconhecimento facial ou cartões RfiD (identificação por radiofrequência), entre outros.
  • Slim Gate,  corredor de acesso controlado com painéis batentes. Do mesmo modo das Express Gates, podem integrar qualquer sistema de validação (biometria, impressões digitais, etc.). Esses corredores de controle de acesso são usados ​​para supervisonar o acesso de pessoas a qualquer edifício, aumentando a segurança e o conforto dos usuários.
  • Trio, catracas tripla. Este é um dos sistemas mais comuns, mas não menos eficientes. As catracas servem para restringir o acesso de pessoas não autorizadas na organização ou para setorizar áreas dentro do mesmo edifício. Assim como os modelos anteriores de sistemas de controle de acesso, existe a possibilidade de integrar outros sistemas de validação, além de integrá-los em qualquer projeto arquitetônico.

Esses sistemas de controle de acesso geralmente são incorporados dentro dos edifícios, normalmente na entrada dos mesmos. No entanto, há outra opção quando se trata de garantir a segurança no campus universitário, e essa não é outra senão a Spin Gate (catracas), que oferece a possibilidade de restringir o acesso a instalações diretamente do exterior, impedindo a entrada no campus a qualquer pessoa fora da organização, oferecendo um ótimo conforto e segurança para o usuário, assim como para as instalações.

Os sistemas de controle de acesso e as medidas de vigilância melhoram e aumentam a segurança nas universidades, protegendo tanto os usuários como as próprias instalações, sob a premissa de máximo conforto.

Manusa Portas Automáticas